– INSIDERS – trás a cada semana um convidado diferente, mostrando o lado pouco conhecido das cidades onde vivem ou visitam.-

Hampstead fica no noroeste de Londres e é um passeio super legal pra quem já conhece os principais pontos turísticos da cidade.

hàampstead street london

O vilarejo de Hampstead foi incorporado à Grande Londres no século 19, mas até hoje mantém um ar bucólico de cidadezinha do interior.

Não fiz um mapa pois o melhor é “se perder” pelas ruas e becos do bairro. Comecei na estação de metrô de Hampstead (linha Northern).

Subindo a rua você encontra o Holly Mount Steps, uma escadaria que dá, adivinhem, na Holly Mount, uma espécie de colina de onde você tem uma vista bem interessante da cidade.

As casas no caminho e no topo são lindas e você pode matar a sede e dar uma descansada da subida (nem é tanto assim, mas vale a desculpa) no Pub The Holly Bush.

Subindo mais um pouco pelas ruas você encontra a Fenton House.  A casa é uma espécie de museu (tem que pagar pra entrar) que guarda uma coleção de instrumentos musicais antigos, peças de porcelana chinesa e muitas pinturas. No jardim tem um pomar de mais de 300 anos com cerca de 30 tipos diferentes de macieiras.

Voltando para a rua do metrô, você encontra várias lojas, cafés, restaurantes e becos super charmosos.

Entrei na Flask Walk, uma rua de pedestres onde você pode sentir que o ar de vilarejo do bairro ainda continua preservado. Lojinha de antiguidades, livros e quinquilharias. É claro que tem um Pub também – The Flask.

The Wells and Camden Wash Houses and Baths 1888 – as casas da era vitoriana não tinham banheiro e nem água encanada então os moradores de Hampstead vinham aqui para lavar as roupas, tomar banho e até abastecer de água pra beber. Virou prédio de apartamentos em 1985.

Fui conhecer a Burgh House and Hampstead Museum, uma casa construida em 1704, durante o reinado da rainha Anne, e que foi uma das primeiras mansões da área.

Hoje é um museu que conta a história do bairro e também tem uma pequena galeria de arte e um café. O museu é grátis e fica aberto de quarta à sexta e aos domingos, de 12h às 17h. O café abre também aos sábados.

Se continuar subindo pelas ruas, você chega no Hampstead Heath, um parque enorme, mas eu voltei para explorar mais a rua principal e seus becos lindinhos e comer o famoso crepe que, dizem, só não é mais gostoso que os de Paris porque você não está em Paris.

“La Crêperie de Hampstead” é uma típica creperia francesa, que funciona num trailler, e que ficou famosa desde que se estabeleceu permanetemente no local, em 1980. Filas se formam pra provar os deliciosos crepes, ainda mais agora que só abre de sexta a domingo, das 11h às 23h. Cheguei cedo e fui a primeira a ser atendida!

Meu veredito: faltou recheio (me lembro que ficava toda lambuzada na primeira mordida), a massa estava meio chiclete e a moça meio ranzinza, faltou um sorriso e simpatia no atendimento. Infelizmente muitos lugares matêm a fama, mas não a qualidade!

O mercadinho comunitário se mistura às lojas e cafés chiques da rua principal de Hàampstead. Essa linda casinha na Perrin’s Court chama a atenção de quem passa por ali.

A famosa cabine telefônica, ícone da capital inglesa, virou um café! O Umar, que é meio alemão e meio paquistanês, me contou que muitas cabines estão à venda, mas ele aluga a dele e fez o primeiro “café na cabine” de Londres.

O Kape Baraco foi inaugurado há pouco mais de um ano e abre de terça à sexta, das 8h às 16h (18h no verão). Seu passeio pode terminar por aqui, em algum outro café ou restaurante, depois de fazer umas comprinhas.

Você pode, também, visitar o museu do Freud que fica a cerca de 10 minutos a pé da creperia.

20 Maresfield Gardens, London NW3 5SX – quarta a domingo de 12h às 17h

Ou você pode simplesmente sentar num banco, refletir sobre esse bairro tão gostoso, que mistura uma paisagem pitoresca com prédios históricos e lojas modernas, e pensar que Londres é muito mais que o Big Ben!

Tina Wells

Meu nome é Tina Wells, carioca, londrina! Moro em Londres há mais de 20 anos e sou autora do blog Londres Pra Você. Jornalista por formação, guia de turismo por opção, faço passeios guiados pela Terra da Rainha. Você pode me seguir nas redes sociais (Instagram, Facebook, Twitter) e no Snapchat como londrespravoce. Vem passear comigo em Londres!

Follow:

Hampton Court Palace é um passeio incrível para quem está hospedado em Londres e ama a dinastia Tudor. Situada em Molesey, foi a propriedade favorita de Henrique VIII e por onde todas as suas seis esposas passaram e todos os seus filhos estiveram por algum período.

O Palácio guarda um acervo de arte, tapeçarias, mobiliário notável. Além de ter um dos maiores e mais bonitos jardins da Inglaterra.

Esse é um passeio para um dia todo e a viagem leva aproximadamente 1:15, sendo feita de metro e trem. Pegamos o metro até a estação de Wimbledon e dela um trem até Hampton Court Rail Station, o palácio fica a 10 minutos a pé da estação.

hampton court palace

O Palácio

Compramos as entradas no próprio dia, mesmo sendo alta temporada o palácio não estava muito cheio e o passeio foi bem tranquilo. Atentem para a programação infantil do palácio, existem diversos tour teatralizados que podem ser bem legais para quem está com crianças.

Numa sucessão de salões, corredores e apartamentos aprendemos um pouco mais sobre a vida na corte, tudo extremamente bem sinalizado mesmo para quem não faz o passeio guiado que foi nosso caso.

A Cozinha

Eu amei as cozinhas, The Tudor Hitchens, com os fornos funcionando e detalhadamente decoradas como na época de Henrique VIII. Os depósitos de alimentos são sensacionais. Cada tipo de alimento ficava estocado numa pequena câmara sem iluminação e longe da luz do sol, funcionavam como uma geladeira.

O Jardim

Na verdade são os jardins, cada um trazendo um estilo diferente e extremamente suntuosos circundam todo o palácio e se você gosta pode passar facilmente uma tarde inteira só conhecendo eles.

O Queen Mary II Garden é uma imensa coleção de plantas exóticas.

O The King’s Kitchen Garden é uma horta maravilhosa responsável pelo abastecimento do palácio durante o reinado de Willian e Mary II. Recriada nos dias atuais seguindo ao máximo o desenho original.

O The Great Vine é uma única parreira com mais de 240 anos que ocupa uma estufa de vidro, é a maior parreira do mundo. (No vídeo eu falei errado!)

No snapchat

Criei um canal no youtube para publicar os passeios! Se inscrevam? Please?! Canal Por mais um carimbo.

Sei que vídeo na vertical não é o ideal mas vale o registro. Pra quem quiser ver um pouquinho mais do palácio está bem interessante. Mostro onde almoçamos e um pouquinho de Molesey. Deixem comentários aqui no post se gostaram da novidade e se querem que eu publique mais vídeos. 😉

 

 

Acesse o site do palácio para saber muito mais!

O horário de funcionamento muda de acordo com as estações do ano, portanto consulte antes para programar o passeio.

Hampton Court Palace

Follow:

– Iniciando a nova seção do blog – INSIDERS – trará a cada semana um convidado diferente, mostrando o lado pouco conhecido das cidades onde vivem ou visitam. –

Guildhall Art Gallery

por Helô Righetto.

Nem todo mundo sabe – nem mesmo os londrinos! – que a região da City of London (a Londres “original”, com as contruções e vielas mais antigas, que hoje em dia é o centro financeiro da cidade) tem o seu próprio prefeito, conhecido como Lord Mayor. Então nada mais justo do que a City ter também seu próprio acervo de obras de arte e, consequentemente, seu próprio museu para exibir esse acervo!

Como Londres tem museus grandiosos e super famosos, lugares menores como a Guildhall Art Gallery acabam ficando em segundo plano e não entram no roteiro de quem visita a cidade pela primeira vez ou por poucos dias. Mas eu recomendo fortemente uma visita a essa jóia da City, já que a entrada é gratuita, o museu é pequeno e está geralmente vazio (ou seja, você não precisa disputar espaço com os outros visitantes em frentes as obras e em determinados momentos vai sentir que tem todo o lugar aberto só pra você!).

guidhall art gallery

guidhall art gallery

guidhall art gallery

Guidhall Art Gallery

A coleção da Guildhall Art Gallery tem obras que datam do século 17, porém o destaque fica para as obras da Era Vitoriana (segunda metade do século 18): Pré Rafaelismo, Orientalismo e Classicismo por exemplo. Há também uma seção dedicada a obras que tem Londres como pano de fundo, além das ruínas de um anfiteatro romano no subsolo.

Sempre que estou na City tento dar um pulo da Guildhall Art Gallery, nem que seja por alguns minutos. Adoro me sentar em um dos bancos de madeira do hall principal em silêncio, e sempre reparo em algum detalhe de algum dos quadros que tinha passado desapercebido nas tantas outras vezes que estive lá. Há sempre algo “novo” para absorver!

Informações

  • Endereço: Guildhall Yard, EC2V 5AE
  • Abre de segunda a sábado das 10 às 17h e domingo das 12 às 16h
  • Entrada gratuita
  • Guildhall Art Gallery

 

Heloisa Righetto

Eu moro em Londres desde 2008 e desde então escrevo sobre a cidade e minhas viagens por aí no Aprendiz de Viajante. Em 2015 publiquei o Guia de Londres Para Iniciantes e Iniciados. Você também pode acompanhar meu dia a dia no meu blog pessoal (helorighetto.com) e redes sociais: @helorighetto (Instagram e Twitter) e helorighetto (snapchat)

Follow:

Durante nossa viagem a Londres e Escócia visitamos vários locais relacionados à saga Harry Potter. Esse post é o relato do que vimos em Londres e foi escrito por um Potterhead genuíno, para complementar farei minhas observações.

Tour a pé por Londres:

Sobre esse tour, eu achei ele muito interessante, se você lembra bem dos filmes você realmente vai se localizar e visitar vários pontos de Londres que aparecem nos filmes. Uma dica seria assistir os filmes, o primeiro seria mais importante.

O tour começa na estação Bank bem em frente ao Royal Exchange que serviu de inspiração para Gringotts.

harry_potter 15

Um dos becos por onde o tour passa.

harry_potter14

Curiosidade, esse é considerando o bar mais antigo de Londres.

O Ladenhall Market foi usado como locação para o primeiro filme da saga, quando Hagrid leva Harry para fazer compras para o material escolar, é possível ver de fundo a numeração das lojas que aparecem no filme.

harry_potter05

Leadenhall Market onde fica a entrada para o Diagon Alley ou Beco Diagonal.

harry_potter13

Nosso guia.

harry_potter06

A numeração das lojas. 

harry_potter07

A loja que serviu de locação para o pub onde está a entrada para o Diagon Alley.

E o tour termina na Millenium Bridge. No sexto filme da saga, O Principe Mestiço, a ponte é atacada e destruida pelos comensais da morte, a mando de Voldemort, na tentativa de intimidar o Ministério da Magia.

harry_potter08

Millennium Bridge aparece em Harry Potter and the Half-Blood Prince 

Os passeios acontecem aos domingos e não precisa de agendamento prévio, é só aparecer no ponto de encontro na hora marcada. Mais informações no site London Walks.

Plataforma 9 ¾, King’s Cross:

A plataforma 9 ¾ não é grande coisa, na verdade é só um carrinho de bagagens fixado numa das paredes da estação King’s Cross, então só se pode tirar uma foto em um local criado para esse propósito, chegue cedo para não pegar fila para a foto.

harry_potter11

harry_potter10

Ao lado tem uma loja, muito boa inclusive, que vende muitas coisas muito legais, comprei muitas coisinhas, como um bilhete do expresso de Hogwarts e um quadro do Sirius Black. A seção de livros é ótima.

harry_potter09

E externamente a estação que aparece no filme é a St. Pancras que fica ao lado da King’s Cross.

harry_potter16

St. Pancras Station

Em 2014 fizemos o tour pelos estúdios da Warner onde os filmes foram rodados. Se quiser saber mais leia o post Warner Bros. Studio – Harry Potter

Potterhead tem 13 anos e cresceu assistindo e lendo a saga do bruxo Harry Potter, além de um geek da melhor espécie.

Follow: