Quer roteiro de um dia em Boston? Não que eu goste mas as vezes fazer bate volta é inevitável. Alê tinha que trabalhar em Boston e eu aproveitei para passar o dia lá, melhor do que nada né?

boston maina

Escolhi uma única área e me dediquei a ela, deixei museus e passeios mais demorados para uma próxima visita.

 

Faneuil Hall Marketplace

Comecei pelo Faneuil Hall Marketplace que reúne os prédios Faneuil Hall construído em 1742 para abrigar os mercadores que chegavam à Boston, Quincy Market construído em 1826, South Market e North Market. Esse conjunto de prédios assim como toda essa área passaram por uma reurbanização na década de 1970 e se tornaram umas das regiões mais agradáveis da cidade.

Dentro dos prédios hoje funcionam uma infinidade de lojas, restaurantes, bares, lojas de comidas e áreas de convívio.

Christopher Columbus Waterfront Park

Bem próximo, é só atravessar a Atlantic Ave., fica a marina de onde saem os passeios de barco anfíbio e os ônibus de turismo, além de mais algumas opções de restaurantes. O Christopher Columbus Waterfront Park, pequeno e rápido de visitar também fica ali.

Depois da marina fui para ao pequeno conjunto de quadras em frente ao Boston City Hall, nessas quadras estão algumas das construções mais antigas da cidade, com alguns dos pubs mais antigos de Boston (salve o povo da Rainha!) um trecho da Freedom Trail passa por essas quadras.

Quem tiver mais tempo na cidade indico fazer esse passeio, a Freedom Trail é um trajeto de 2,5 milhas a pé que percorre os principais pontos históricos de Boston. No site vocês também encontram a relação de todos os pontos vistos no percurso caso queiram percorre-lo por conta própria.

Boston Public Market

Já deu fome? Continuei meu passeio seguindo para o Boston Public Market, espaço incrível cheio de boas opções para almoçar e fazer algumas compras. Azeites especiais, maple syrup, queijos, chás, tudo com uma curadoria maravilhosa. Eu passaria o dia dentro dele.

Beacon Hill

Após o almoço fui para Beacon Hill e fiquei flanando (do verbo francês FLÂNER) ou basicamente fiquei vadiando pelo bairro. A Charles Street logo na saída da estação Charles/MGH é cheia de lojinhas e cafés absolutamente charmosos.

A Acorn Street por exemplo é conhecida por ser a menor rua da cidade, um charme e fica ali do lado. Continuei fazendo meu zigzag pelo bairro, vendo as casas maravilhosas e históricas. Muitas tem placas fixadas em suas fachadas explicando a importância e o contexto histórico.

Caminhando pelo bairro cheguei ao The Boston Commom, o parque central da cidade. Aproveitei para tomar um café enquanto caminhava por ele e dali peguei um taxi para o aeroporto e retornar para NYC.

Fiz um mapa com todos os locais citados, é só clicar nele e passear por Boston!

Follow:

Fui ao México semana passada no esquema vapt vupt correria total, apenas dois dias e meio na Cidade do México mas deu para trazer algumas dicas úteis e ter uma ideia geral da cidade para quando voltar com mais tempo.

Vou deixar aqui dicas de três lugares que comi e que valem a pena pelo ótimo preço e pela qualidade.

1- Mercado de Coyoacán.

O Mercado me surpreendeu, é limpo, organizado, com muitas opções de barracas de comida, frutas, produtos típicos e souvenir. Lá pude conhecer frutas típicas da região além de provar as famosas Tostadas que são tortillas fritas em azeite, elas ficam super crocantes, cobertas com diversos recheios à escolha do cliente, tem ceviche de peixe, polvo, camarões, mole de frango, carne de porco, sempre com uma camada generosa de guacamole e muito chilli para acompanhar. As tostadas custam de $25 a $40 pesos cada dependendo do recheio. As melhores barracas para comer são as localizadas no centro do mercado. Meu almoço inteiro saiu por $65 pesos algo em torno a $3,5 dólares uma barbada.

2- El Bajio

Quer comer comida mexicana de verdade, no bairro caro da cidade, num restaurante bonito e com atendimento ótimo? O El Bajio cumpre muito bem todos esses itens. Fui na unidade de Polanco, os “Jardins” da Cidade do México. A casa está recém reformada e linda. Pedimos várias porções para poder experimentar um pouco de tudo. Não se assustem ao entrar no site do restaurante, é simples e não reflete a qualidade do lugar mas para vocês pesquisarem os outros endereços vale. A conta para duas pessoas (3 pessoas comeriam tranqüilamente) com 6 porções diversas, 1 sobremesa grande que dividimos, água e café saiu por $700 pesos, algo como $35 dólares.

lugares para comer bem cidade do méxico el bajio

3- Garabatos

Também fui na unidade de Polanco, localizada na Avenida Presidente Masaryk, a chique do bairro. Vejam no site as demais unidades, tem por vários bairros. O menu é ótimo com opções desde o café da manhã até o jantar, pães, doces, saladas, sanduíches, pratos mexicanos, grelhados com salada, sopas, enfim uma ótima opção para quem quiser variar o menu, para crianças e aqueles que querem um café da manhã ao meio dia por exemplo. O Pan de Muerto, pão tradicional das celebrações do Dia de Los Muertos,  recheado de creme foi o mais gostoso que provei na viagem. O lugar é moderno, serviço atencioso e preço justo. Gastamos $400 pesos, algo como $20 dólares.

 

Follow:

Londres. Tudo o que eu escrever aqui será pouco para descrevê-la. É o tipo de cidade para voltar sempre e cada visita ser uma experiência completamente diferente. Não vou indicar um roteiro fixo e imutável, prefiro mostrar lugares próximos um do outro que podem ser visitados encaixando-os nos programas mais turísticos. Nas minhas viagens procuro organizar um roteiro que me permita fugir dele #alocka né? Porque não existe nada melhor do que uma viagem cheia de “Serendipity”.

Assim que chegar na cidade, compre um Oyster Card em qualquer estação de metrô, além da passagem sair mais barata é muito prático usá-lo. Também uso o app TubeMap, que te mostra o mapa com todas as linhas/estações e você pode traçar itinerários. Super mão na roda.

Em Londres todos os principais museus tem entrada gratuita, são cobradas entradas apenas das exposições especiais dentro de cada um. Basicamente pode-se conhecer todos de graça. É a glória! As atrações turísticas como London Eye, Westminster Abbey, Saint Paul’s Cathedral, London Tower, essas sim, são pagas.

Borough Market – Shakespeare’s Globe – Tate Modern

borough market tate modern londresBorough Market e Tate Modern

O Borough Market existe nesse local desde o século 13 e agrupa centenas de vendedores de todos os tipos de ingredientes e comidas. Ótimo lugar para comprar queijos, temperos, vinhos e se esbaldar nas dezenas de barraquinhas de comidas. O dia mais cheio é o sábado. Eu o visitei numa quarta feira e foi muito tranquilo pudemos aproveitar com calma e sem filas. Nas ruas ao redor dele existem várias casas de vinhos que promovem degustações e muitos restaurantes charmosos.

Saindo do Borough Market e seguindo pela margem do Tamisa chega-se rapidamente ao Shakespeare’s Globe . Aproveite para conhecer mais sobre a obra e vida de Shakespeare. Para esse passeio é aconselhável agendar a visita pelo site. Continuando pela margem é a vez do Tate Modern, antiga Bankside Power Station. Só o prédio já impressiona, lindíssimo e recheado de arte moderna, sempre com mostras especiais.

Victoria & Albert – Comptoir Libanese – Serpentine

va_comptoirVictoria & Albert Museum e Comptoir Libanais

Victoria & Albert Museum é meu museu preferido, artes decorativas, moda, fotografia, design. Sempre com mostras especiais maravilhosas. Vi agora em Setembro/14 a exposição fotográfica do Horst, foi ele o responsável pela capas mais incríveis da revista Vogue e a mostra Wedding Dresses 1775-2014. Daqueles museus fáceis de passar o dia inteiro e nem perceber.

Na Exhibition Road, rua lateral ao V&A, fica o Comptoir Libanais, restaurante super simples, com mesas externas (exceto no inverno). Comida libanesa com porções generosas e tempero maravilhoso. Tem menu kids, mas nada de nuggets e afins: são pratos de tamanho reduzido do menu normal que inclui prato+bebida+sorvete. A parte de doces libaneses é de chorar as calorias ganhas <3 Pode-se comprar a comida para viagem e aproveitar uma sombra no Hyde Park para almoçar e descansar as pernas.

Se você almoçou no Comptoir ou no parque, continue a caminhada ou alugue uma bicicleta e chegue até a Serpentine Galleries, bem no centro do Hyde Park, sempre com mostras pequenas, mas super interessantes e aproveite o The Magazine Restaurant para um café, chá, drink 😉

serpentineThe Magazine – Projeto Zaha Hadid

Post publicado originalmente no Blog Embarque Autorizado no dia 17/10/2014

Follow: