Preparei esse post com 10 bares em Miami para aproveitar a tradição do drink antes ou após o jantar. Nos Estados Unidos isso é super comum. Quase todos os restaurantes tem um balcão de bar. Você pode sentar no balcão só para um drink e depois vai para o restaurante do seu jantar que não necessariamente fica no mesmo local.

Na minha lista alguns eu conheço e outros eu pedi ajuda para a minha amiga Silvia que mora em Miami e é super adepta aos drinks! As dicas da Sil nunca falharam comigo, sempre amei os lugares que ela me indicou.

Dica, para um drink não é preciso fazer reserva, é só chegar, sentar e pedir sua bebida. Na maioria dos bares, azeitonas, batatinhas, nuts salgadas são servidas como petiscos. Alguns servem até pratos mais elaborados do cardápio do restaurante. Então se você não conseguiu uma reserva pra jantar no restaurante da moda uma opção é ficar pelo bar mesmo e aproveitar tudo o que ele pode te oferecer.

Bares em Miami é o que não faltam, escolha o que mais combina com você ou faça um tour por vários e aproveite!

1. O Bar at The Setai Miami Beach

O enorme armário atrás do balcão guarda garrafas preciosas de single malt, gins, vodcas e mais o que você puder imaginar. Os drinks são preparados pelo barman com uma precisão e teatralidade deliciosa de se assistir. O ambiente é todo escuro e tem ares de bar bem sofisticado. Tomei o Vesper, estava impecável, um clássico criado por Ian Fleming, sim, o criador de James Bond .

The Setai Miami Beach

bar at setai hotel miami

2. The 1 Rooftop at 1 Hotel South Beach

O rooftop do 1 Hotel é só para maiores de 21 anos, tem vários pequenos ambientes e a minha indicação é ir no fim do dia para curtir o pôr do sol. Ele também tem um cardápio de comidas leves, sushis, poke e saladas bem gostosas. Os drinks tem uma pegada bem tropical, além de lindos são deliciosos.

1 Hotel South Beach

The 1 Rooftop at 1 Hotel South Beach

3. Tom on Collins at 1 Hotel South Beach

Esse é o bar do lobby, também super charmoso. Aqui o cardápio de bebidas é muito interessante e completo. Gin, grappa, champagne, mezcal, cervejas artesanais, enfim uma seleção incrível. Nos drinks há uma seleção de clássicos e uma de autorais. Dica é chegar por volta das 19:30 quando o volume da música aumenta, as luzes diminuem e o lounge fica bem concorrido.

1 Hotel South Beach

Tom on Collins at 1 Hotel South Beach

4. O Bar do Pao at Faena Miami Beach

O bar do restaurante Pao, dentro do hotel Faena vale a visita só pra ver a decoração ultra colorida e carregada do local. Num pódio central, um unicórnio dourado paira sobre nossas cabeças, é uma viagem. Os drinks de assinatura da casa são bem criativos. Aqui mais uma vez a carta de clássicos é bem completa.

Pao by Paul Qui

Bar do Pao at Faena Miami Beach

5. The Lido Bayside Grill at The Standard Hotel

Considerado o local com o pôr do sol mais bonito de Miami Beach, eu achei espetacular. O bom é chegar por volta das 17:30 para aproveita-lo. O bar/restaurante fica na beira da água e ao lado da piscina super concorrida do hotel. Aqui o esquema é mais festivo, tem jarra de sangria e drinks com muitas frutas. Cervejas e alguns vinhos também estão no cardápio. E se quiser emendar o jantar bem descontraído vai muito bem. Aproveite para passear pelo hotel, tem uma vibe anos 50 muito fofa.

The Lido Bayside Grill

The Lido Bayside Grill at The Standard Hotel

6. Matador Bar do The Miami Beach Edition

Apesar de não ter gostado do restaurante, o bar é excelente. O cardápio não é muito extenso mas contém todos os clássicos. Além de algumas opções de comidas e sobremesas, aqui rola jantar também. Talvez tivesse me dado melhor jantando no bar. Enfim, numa próxima paro no bar e fico.

Edition Hotels

Matador Bar do The Miami Beach Edition

7. The Anderson Miami – Dica da Silvia

Com dois ambientes, o interno remete aos anos 80 e além do bar tem uma mesa com jogos de tabuleiro, bem divertido. Já o ambiente externos nos leva direto pra Jamaica, bem descontraído. Às sextas feiras sempre rola jam session e depois algum DJ assume as pick-up. O foco do bar são os drinks e a música, o cardápio de comidinhas é enxuto mas tem opções bem interessantes, hambúrguer, sanduíche de frango frito e cachorro quente, só clássicos.

The Anderson Miami

the anderson bar miami

8. Broken Shaker at Freehand Miami – Dica da Silvia

Uma fofura! Sabe aqueles lugares com cara de quintal de casa do interior? O Broken Shaker é assim, ele fica dentro do hotel Freehand. O jardim é todo decorado com luzinhas hipster que amamos, cadeiras em volta da piscina, tudo bem tranquilo e com clima de casa. No cardápio drinks bem variados e refrescantes e opções de comidinhas super gostosas para dividir com os amigos.

Freehand Hotels

the broken shaker

9. Smith & Wollensky

É velho, é batido mas tem seu charme. O bar fica na parte externa na beira do canal que liga o porto de Miami ao mar. Aqui os clássicos estão presentes, acho ele uma ótima opção para o fim do dia. Tem um cardápio legal pra quem quiser já emendar com o jantar.

Smith & Wollensky

bares em miami

10. Sugar

Esse já se enquadra na categoria lotado sempre! Mas a vista do skyline de Miami compensa. O bar fica no quadragésimo andar de um edifício em Miami Downton, na Brickwell Ave. A decoração e cardápio inspirados em China, Hong Kong e adjacências asiáticas. Para o Sugar precisa fazer reserva, as filas são enormes! E aqui também é legal emendar com o jantar, o cardápio é ótimo.

Sugar Miami

sugar miami bar

Não esquece de me contar se você for em algum desses bares em Miami!

Ahh sigam a Silvia Scott, esses são os perfis no Instagram das lojas dela  @thegiftbar e @bysis_collection

E aqui Post super completo do hotel que me hospedei 1 Hotel Miami Beach e eu mudando de ideia.

Museus em Milão, pedi para minha amiga Mariana Marchioni que mora na cidade uma ajuda para esse post. O que ela me enviou ficou tão sensacional que publico aqui na íntegra.

Milão, cidade da arte.

Muitas vezes a gente escuta que Milão se conhece em um dia e meio… Eu até entendo que a Itália tem tantas atrações que os roteiros acabam espremidos, mas pode ter certeza que se tiver mais tempo para dedicar a Milão, terá muito o que fazer! Como capital financeira e da moda na Itália não faltam atrações, principalmente ligadas a atividades culturais.

Para quem tem 1 dia e meio em Milão eu recomendo como primeira opção a Última ceia de Leonardo da Vinci, a visita dura 15 minutos e não tem preço ver ao vivo uma obra como esta. Pode reservar no Viva Ticket ou comprar em agência de turismo (custa mais caro). Depois vem a Pinacoteca di Brera, é aquele museu que a gente espera de uma visita a Itália. Cheio de obras clássicas com destaque para a obra Il Bacio de Francesco Hayez. Ainda nesse tom tem a Pinacoteca Ambrosiana, vale a pena pela arquitetura linda e a sala dedicada a manuscritos do Leonardo da Vinci.

Última ceia de Leonardo da VinciÚltima ceia de Leonardo da Vinci – foto: Milão nas Mãos
pinacoteca de brera milãoPinacoteca de Brera – foto: Milão nas Mãos

Na praça do Duomo tem o Museo del 900 reunindo obras italianas do Século XX. Eu adoro esse museu, me lembra um mini MoMa (NY)! Até 15 de Maio 2017 está rolando uma mostra com a visão de Andy Warhol sobre a Última ceia, programão para depois de ter visto a original. Grudado no 900 tem o Palazzo Reale, um espaço para mostras temporárias, sempre com algo muito legal em exposição. Agora, por exemplo, tem Keith Haring, Charlotte Salomon (artista alemã), Os Santos da Itália, uma mostra sobre jóias italianas patrocinado pela joalheria Damiani e a mais esperada da temporada, a mostra Manet em colaboração com o Museu D’Orsay (Paris).

museus em milão museo del 900Museo del 900 – foto: Milão nas Mãos

Saindo do centrinho um outro espaço para mostras temporárias que tem sempre algo legal é o MUDEC (Museo delle Culture), que agora tem Kandinsky e uma mostra de dinossauros que faz a alegria das crianças. Ainda para eles (mas eu adoro) tem o museu da ciência de Leonardo da Vinci, com uma parte legal de trens e barcos antigos. Especifico para crianças tem o MUBA (Museo dei Bambini Milano) eu visitei a atividade proibido não tocar e foi uma diversão para meu filho de dois anos! Nesse museu vale a pena verificar a programação porque depende da idade e tem horários pré-estabelecidos.

Se você gosta de moda não pode deixar de ir na Fondazione Prada, com mostras permanentes e temporárias. No Armani Silos, para ver a história da marca do estilista que nasceu próximo de Milão. Também vale a pena passar na 10 Corso Como, concept store idealizada pela irmã da Franca Sozzani, Carla Sozzani. Que tem um espaço para exposições no último andar.

10 corso como10 Corso Como – foto: Milão nas Mãos

Para os amantes do design tem a Triennale di Milano, com uma mostra de design infantil, a visão de designer italianos para o cálice sagrado e o design em Hong Kong. Para arquitetura e arte vale visitar a lindíssima Villa Nechi Campiglio, que foi cenário do filme Io sono l’amore com a atriz Tilda Swinton. E para ver arte moderna e contemporânea tem o Hangar Bicocca, fica fora do centro mas facilmente acessível de metro. Quem for ainda este mês vai ver uma intervenção dos nossos brasileiríssimos Osgêmeos!

villa necchi campiglioVilla Necchi Campiglio – foto: Milão nas Mãos
pirelli hangar bicoccaPirelli Hangar Bicocca – foto: Mariana Marchioni 
pirelli hangar bicoccaPirelli Hangar Bicocca – obra incrível Osgemêos- foto: Mariana Marchioni 

E eu paro por aqui mas garanto que ainda tem coisa que não citei e que mesmo morando na cidade, admito que não consegui visitar ainda… Ou seja, quem puder ficar em Milão mais tempo sem dúvida não vai ter problemas para achar programação.

Bônus Track

Entrem em contato com a minha amiga Magê Santos do blog Milão nas Mãos. Ela pode te acompanhar em passeios guiados e exclusivos por Milão e arredores, como o Lago de Como e a região de Franciacorta entre outros.

Para a programação completa dos museus em Milão, endereços e outras informações:

Pinacoteca di Brera http://pinacotecabrera.org/

Pinacoteca Ambrosiana http://www.ambrosiana.eu/cms/

Museo del Novecento http://www.museodelnovecento.org/it/

Palazzo Reale http://www.palazzorealemilano.it/wps/portal/luogo/palazzoreale

MUDEC http://www.mudec.it/ita/

Museo della Scienza Leonardo da Vinci http://www.museoscienza.org/

MUBA http://www.muba.it/

Fondazione Prada http://www.fondazioneprada.org/

Armani Silos https://www.armanisilos.com/it_IT

10 Corso Como http://www.10corsocomo.com/

Triennale http://www.triennale.org/

Villa Necchi Campiglio http://www.visitfai.it/villanecchi/

Pirelli Hangar Bicocca http://www.hangarbicocca.org/

No nosso segundo dia de passeios em Sevilla deixei as visitas mais rápidas e bastante tempo para caminhar pelas ruas de diferentes bairros.

Plaza de España

Começamos o dia visitando a Plaza de España e o enorme edifício semi-circular construído por ocasião da Exposição Ibero-Americana de 1929. Infelizmente o canal estava em trabalhos de limpeza e os barquinhos de passeio fora de serviço.

Hoje no edificio funcionam departamentos do governo. Em sua fachada estão representadas todas as províncias espanholas. As 4 pontes que atravessam o canal simbolizam os 4 antigos reinos que deram origem ao que hoje é a Espanha. Não deixem de passear pelo lindo parque Maria Luiza onde a praça está situada.

Para os fãs de cinema a praça foi locação de Laurence da Arábia e Star Wars!

Arquivo das Índias

O prédio em estilo renascentista é tombado pelo patrimônio histórico da UNESCO teve sua construção iniciada em 1572 e finalizada em 1646. Inicialmente a Casa Lonja de Mercadeiros era o ponto principal das transações comercias da Espanha com o novo continente, a bolsa de valores da época. Só em 1785 o Arquivo Geral das Índias passa a ocupar o edifício. Abrigando toda a documentação histórica sobre a Espanha e suas colônias. Tesouros como o Tratado de Tordesilhas e o Diário de Cristovão Colombo são só uma pequena amostra da importância desse arquivo.

A entrada é gratuita e a visita passa pelas salas mais bonitas do edifício, foi uma visita emocionante. Vi documentos que relacionavam palavras indígenas brasileiras ao correspondente espanhol, a reprodução do Tratado e vários outros documentos. Pensar que aquilo tudo faz parte da nossa história é incrível.

Todo o arquivo pode ser consultado digitalmente e os originais ficam protegidos da ação do tempo.  E passam constantemente por processos de restauração e preservação.

Mercado Lonja del Barranco

Após visitar o Arquivo fomos caminhando até o Mercado Lonja del Barranco que fica na Ponte Isabel II por onde atravessamos para o bairro de Triana.

Aqui nesse post Restaurantes em Sevilla – 5 ótimas opções falo em detalhes sobre o mercado.

mercado lonja del barranco sevilla

Bairro Triana

Após o almoço passeamos pelo bairro boêmio de Sevilla. A Calle San Jacinto é cheia de cafés, restaurante e lojas, bem gostoso passear por ali. Já na Calle Bettis às margens do canal é uma ótima opção para curtir tapas e drinks no fim do dia. O visual de Sevilla vista desse ponto é lindo.

passeios em sevilla bairro triana

Plaza del Toros e arredores

Depois de Triana seguimos para a Plaza del Toros, apenas passeamos por fora e só conhecemos o hall de entrada. Não concordo com o “esporte” portanto não paguei para entrar num recinto que por séculos foi palco de maus tratos animais.

Já as ruelas ao redor da Plaza são bem interessantes, muitos galpões e depósitos foram transformados em lojas charmosas e escritórios. Pra quem gosta de explorar é um prato cheio.

plaza del toros sevilla

Setas de Sevilla

Depois da Plaza seguimos para o Setas de Sevilla também conhecido como Metropol Parassol. A maior estrutura de madeira do mundo. Ele em si impressiona mais nas fotos do que pessoalmente. Mas o passeio valeu porque andamos por ruas menos turísticas e pudemos sentir mais o clima da cidade.

No subsolo do Setas existe uma escavação onde foram descobertas ruínas romanas. E construções islâmicas, o espaço está bem bonito e vale visitar.

Passeios em Sevilla é o que não faltam, esse foi um bom roteiro para ter um apanhado geral da cidade. Voltarei certamente e numa estação mais quente para aproveitar bem as tapas e tragos.

 

 

– INSIDERS – trás a cada semana um convidado diferente, mostrando o lado pouco conhecido das cidades onde vivem ou visitam.-

Quem anda pelo centro de Hamburgo, inevitavelmente passa pelas ruas Spitalerstraße e Mönckebergstraße. As duas ruas concentram diversas lojas, cafés e escritórios, e são os principais canais de ligação entre a Prefeitura e a estação central de Hamburgo.

Porém, em meio a tantas vitrines e distrações, existe um prédio em especial que por vezes passa despercebido para os mais apressados, apesar da bela escultura de um centauro de bronze que marca sua entrada principal. É a Levantehaus, minha dica insider de Hamburgo.

A galeria é um oásis de silêncio e lojinhas tranquilas, perfeita para quem busca produtos de mais qualidade ou apenas uma pausa para um café em algum lugar fora do circuito turístico. Aqui você encontrará, por exemplo, desde marcas mais conceituais a lojas de presentes, decoração e sapatarias artesanais.

levantehaus

A Levantehaus foi construída em 1912 pelo arquitetos Franz Bach e Carl Bensel. À época, chamava-se Hubertushof e servia de escritório para a empresa de navegação Deutsche Levante-Linie. Assim como muitos prédios comerciais em Hamburgo, o prédio foi então rebatizado pelo nome da empresa que ali atuava. Daí o nome Levantehaus.

Detalhes para os mais observadores

Ao entrar na Levantehaus, os lampiões mais antigos e a calmaria do lugar já criam um clima muito diferente da correria lá fora. No interior, as esculturas de animais em extinção feitas por Barry Baldwin chamam a atenção para o teto e ao observá-las mais de perto, percebe-se uma clareira no centro do pátio. Olhe para o alto, pois lá em cima está o colorido vitral do sétimo andar, inspirado em mitos sobre a criação da vida. A obra é da artista Ada Isensee.

Os elevadores no térreo também são curiosos: de um lado, você pode ver como funcionava um elevador paternosterdo outro, um elevador atual, em vidro, cujas paredes externas retratam cenas do passado e hoje, como uma breve viagem no tempo.

Atualmente, os descendentes de Franz Bach ainda administram o prédio. Foi deles a ideia de reestrututrar o interior do prédio na década de 90 e de instalar lojas locais e/ou exclusivas, como uma alternativa às lojas de rede da rua Mönckebergstrasse. A partir do terceiro andar, a galeria dá lugar ao hotel Park Hyatt.

Enfim, eu poderia dizer que Hamburgo por si só é uma dica de insider para quem vem à Alemanha, pois mesmo com todos seus atrativos, ainda é desconhecida da maioria dos viajantes de fora do país. Mas agora que você já tem uma dica ainda mais local, já sabe o que fazer – e admirar –  quando vier a Hamburgo.

Levantehaus

Mönckebergstraße 7

Hamburg 20095

Horário: de segunda a sábado, de 10h às 19h (lojas). A galeria fica aberta 24h.

Rafaella Vilafranca

Sou carioca e moro na Alemanha desde 2010. Sou guia em Hamburgo e região e também escrevo os blogs Viagem Hamburgo e Maria de Lux. Instagram: @viagemhamburgo . Facebook: Viagem Hamburgo

Fontes: visita guiada à Levantehaus e livro “Levantehaus: Tradition und Moderne“ (Michael Seufert, Ed. Hoffmann und Campe)

“Wanderlust é uma palavra em alemão que pode ser traduzida como um desejo intrínseco e profundo de viajar.

Ela é formada da junção de outras duas outras palavras alemãs. Wander, que encontra origem no verbo wandern e corresponde à prática da caminhada ou trilha. E lust, que quer dizer luxúria, ou mais que um desejo, uma vontade profunda.”

fonte: significados.com.br

A Alessandra do Blog De lá pra cá me convidou a responder 10 perguntas sobre viajar e assim contar um pouco mais sobre esse Wanderlust que habita em todos nós, adorei a idéia! Ela já respondeu lá no blog dela.

wanderlust

1. Quando e para onde ia o seu primeiro avião?

Para o Rio de Janeiro, eu tinha por volta de 4 anos e estava de mudança para a cidade maravilhosa. Nada mau ter a primeira impressão da cidade vista lá do alto chegando no Santos Dumont. Até hoje quando chego no Rio fico embasbacada com tamanha beleza.

2. Para onde já foi e gostaria de voltar?

Amo voltar! Volto sempre, todos os anos, para NY e Londres. Clichê né? Mas é muito amor por essas duas cidades. Gosto da sensação de aos poucos começar a fazer parte de ambas. Ter os cafés favoritos. O lugar escondido pra comer o melhor doce. Saber das novidades nas lojas mais legais. Visitar os restaurantes recém inaugurados. E ficar sempre que possível no mesmo hotel, quase uma segunda casa <3

3. Você está viajando amanhã e dinheiro não é problema, Pra onde você vai?

Fretaria um Bombardier Global 6000 só pra mim e partiria numa volta ao mundo, afinal dinheiro não é o problema porque se limitar à um único destino?

4.  Método preferido de viagem: avião, trem ou carro?

Amo trem, ficar observado a mudança da paisagem saindo das cidades até se transformar em lindos campos. Mas também amo avião, se pudesse faria a viagem dentro da cabine de comando 😉

5. Site preferido de viagens?

Minhas viagens sempre começam pelo Viaje na Viagem, brinco que é o Google do viajante. Para as informações práticas de como ir, qual época é melhor, bairros mais interessantes não tem site melhor. Após ler sobre meu destino no VnV eu parto para consultar os blogs dos amigos que fazem parte da RBBV neles eu encontro as informações sobre passeios, compras de ingressos, hotéis, tudo com uma visão bem pessoal.

6. Para onde você viajaria só para comer a comida local?

Nossa Senhora Itália Itália Itália!!!!!!! Cada região com sua peculiaridade, iria pro Vêneto comer os frutos do mar, hmmmmm um fritto misto di mare <3 Para a Toscana pelos seus azeites e a papa ao pomodoro, para Roma pelo cacio e pepe e por aí vai. Quer país mais maravilhoso? Pizza, azeite, burrata, manjericão, pasta, tomates frescos, risoto, tiramissu, gelato, só maravilhosidades. Itália com certeza.

7. Você sabe seu número de passaporte de cabeça?

Malemá lembro do meu RG e CPF o_O

8. Você prefere o assento do meio, corredor ou janela?

Janela sempre. Mas às vezes sedo o lugar para um dos meninos.

9. Como você passa o tempo quando está no avião?

Durmo, durmo feito uma pedra, às vezes durmo antes mesmo do serviço de bordo ser realizado. Leio um pouco e às vezes assisto algum filme. Como a maioria dos meus vôos são noturnos prefiro dormir pra já chegar no destino com pique.

10. Existe algum lugar para onde você nunca mais voltaria?

Até para lugares que não gostei muito já voltei para fazer um tira teima. Louca né? Pois é. E olha que com isso já mudei de opinião algumas vezes.

 

E você? Conta pra mim nos comentários alguma curiosidade sobre a sua vida de viajante. Vou adorar saber.

Outras amigas também estão participando da brincadeira Wanderlust. Adoro conhecer um pouquinho mais de quem escreve os blogs que leio e vocês? Conforme elas forem publicando colocarei os link aqui.

A Helô Righetto, do Aprendiz de Viajante, já respondeu a tag. Respondendo a tag Wanderlust