O Lower East Side de Manhattan é cada vez mais um bairro delicioso para se hospedar.

Lower East Side – o Bairro

O Lower East Side é um bairro que faz divisa com Chinatown, NoLiTa e Little Italy, pertinho também do Soho. Tem uma característica menos turística e por isso e ainda mais autêntica. No fim dos anos 1800 recebeu uma grande quantidade de imigrantes, italianos e judeus principalmente. O que deu ao bairro uma identidade toda especial, com lojas, restaurantes e oficinas de cada um desses grupos de imigrantes. Nos anos 1980 e 1990 o bairro manteve sua importância abrigando jovens e novos artistas do underground novaiorquino com seus aluguéis mais baratos. Nos últimos 5 anos muitos bares, cafés e restaurantes deliciosos tem aberto suas portas por ali. Galerias de arte, lojas de artistas locais e restaurantes tradicionais do bairro garantem a aura underground da vizinhança.

Lower East Side The Ludlow Hotel
Ludlow Street

Como usar o mapa: passe o cursor do mouse ou clique na marcação rosa, o nome e endereço completo irá aparecer.

O Hotel

O The Ludlow Hotel foi o hotel que escolhi para conhecer melhor a área. Super charmoso, ele tem um lobby com bar lindo e ótimo para um drink no fim do dia. Os quartos mesmo os de categoria mais alta são pequenos porém muito bem decorados e confortáveis. Escolhi uma suíte com área de estar e foi a escolha correta, tivemos um pouco mais de espaço. O frigobar tem um ótimo padrão de bebidas e snacks. Banheiro com grandes janelas e muito bem iluminado, coisa rara em hotéis de NY. O restaurante famosinho Dirty French fica no hotel e hóspedes tem preferência na reserva de mesas. Para quem quiser uma refeição mais leve com saladas e sanduíches as mesas do jardim interno adjacente ao lobby é o melhor lugar.

Onde Comer

As boas opções culinárias do Lower East Side são quase infinitas. Adoro o The Meatball Shop, nele podemos escolher o tipo de almôndegas, tem opção vegetariana e combinar com porções dos mais diversos acompanhamentos. O famoso Russ & Daughter abriu esse café em 2014 e é o melhor lugar para comer lox e bagel em Manhattan. O Dirty French fica no The Ludlow e é ótimo para jantar, ao lado o Sweet Chick que serve o típico frango frito com waffle. A Supermoon Bakehouse se você quiser experimentar um dos croissants mais instagramáveis da cidade, evite os sorvetes, são ruins. Katz’s Delicatessen, famoso pelo sanduíche de pastrami (eu não gosto), caiu na boca do povo por ser a locação da famosa cena entre Meg Ryan e Billy Crystal no filme When Harry met Sally, vale a visita para os fãs do filme (eu amo). O Ludlow Coffee Suply fica ao lado do hotel e tem o melhor café da região. il Laboratorio Del Gelato para um autêntico sorvete italiano. O charmoso Freeman’s fica numa viela escondida e tem uma das melhores decorações da cidade e comida deliciosa. Para quem gosta de um mercado o novo Essex Street Market é a opção, são vários andares num novíssimo edifício de metal e vidro, com todo o tipo de comida e produtos culinários, sinceramente preferia o antigo e autêntico mercado do bairro. Doughnut Plant para o melhor doughnut. Mission Chinese Restaurant praticamente em Chinatown, vive lotado, melhor fazer reserva.

Onde Visitar

Galerias de arte e museus também estão muito presentes no Lower East Side. O Tenement Museum é dedicado à história do bairro e seus imigrantes, oferece tour à pé pelo bairro além de ter em suas instalações apartamentos completamente decorados de acordo com as famílias que os ocuparam em diferentes épocas. A galeria Perrotin é uma das minhas favoritas da cidade e fica logo em frente ao Russ & Daughter. O New Museum inteiramente dedicado à arte contemporânea, oferece tours guiados também. Além disso uma boa quantidade de pequenas galerias está espalhada pelo bairro, é só chegar e entrar para visitar, todas gratuitas. Aproveite para descobrir os grafites espalhados por todo o bairro de artistas como os brasileiros Os Gemeos, Bradley Theodore, Jason Naylor e muitos outros.

Tudo para você organizar sua viagem com segurança. |Reserve seu hotel através do Booking
|Importante! Faça seu seguro viagem com a Seguros Promo
|Compare e alugue seu carro na Rent Cars |Chip com internet ilimitada Easysim4u |Ingressos para atrações turísticas no mundo todo Get Your Guide

Follow:

O que é SIM Card?

Vamos começar do começo, SIM card significa Subscriber Identity Module (módulo de indentificação do assinante), é com ele instalado dentro de nossos telefones e tablets que conseguimos acessar as redes das operadoras de telefonia e ter acesso à rede de dados e voz. É o também chamado chip que todos nós precisamos ter instalados dentro de nossos telefones.

o que é eSIM e como usar em viagens. sim card

O que é eSIM Card?

O eSIM nada mais é do que um SIM permanente instalado dentro dos dispositivos, telefones, tablets e relógios por exemplo. A letra “e” de eSIM significa Embed, embutido em inglês. Possibilitando que o usuário acesse as redes das operadoras sem precisar trocar de SIM Card físico cada vez que for contratar o serviço de uma operadora diferente.

Como ele funciona?

Aqui a grande facilidade para quem viaja muito e gosta de se manter conectado à todo momento ou quem precisa ter mais de uma linha em seus telefones.

Com o eSIM podemos comprar planos pós ou pré pagos no caso de viagens de forma muito prática e sem precisar ir até nenhuma loja física de operadora. As compras dos planos são realizadas através do app das próprias operadoras ou em app agregadores, que vendem planos para diversos países. Após a compra dentro dos app existe um passo a passo bem simples para habilitar os serviços no eSim, tudo feito de forma virtual.

Importante lembrar que para o funcionamento de duas linhas de operadoras diferentes os telefones tem que ser desbloqueados, se não tiver certeza se o seu é verifique direto sua operadora.

Outra informação, no eSim podemos cadastrar diversos planos. Por exemplo, você pode ter um plano de operadora brasileira e um plano de operadora estrangeira enquanto viaja funcionando simultaneamente.

o que é esim e como usar em viagens  sim card
Photo by freestocks.org on Unsplash

Em qual aparelho de telefone funciona?

Por enquanto em iPhones XS, iPhone XS Max, iPhone XR e posteriores vem com a opção dual SIM, com iOS 13 e posteriores. Aqui nessa página de suporte da Apple você encontra todas as informações bem detalhadas.

Nos telefones Google à partir do Pixel 3a XL em diante todos já estão com o eSIM.

Por enquanto a Samsung só equipa seus relógios com o eSIM.

Como comprar planos para eSIM.

Para planos de viagem você pode comprar através do app Airalo que é um agregador de serviços para vários países.

Para os Estados Unidos o app da TMobile funciona super bem.

Operadoras brasileiras que já tem venda de planos e suporte para eSIM até o momento são a Vivo, Claro e Tim.

o que é esim e como usar em viagens sim card

o que é esim.

Follow:

Nem cheguei direito de viagem e já fui pesquisar receita de pão pita grego e tzatziki para fazer em casa. Fui em dois supermercados e encontrei apenas as variedades de pães pita árabes que são completamente diferentes do pita grego, portanto a saída é fazer em casa.

O tzatziki nada mais é do que iogurte e pepino bem temperados, pode ser usado como molho de salada se vc fizer ele numa consistência mais liquida. ou como patê para comer com o pita.

As duas receitas são super simples e rápidas para fazer nos finais de semana calorentos que pedem comidas leves e refrescantes.

Pão pita grego

Ingredientes:

10 gr fermento biológico seco

1 xícara de chá de água morna

4 colheres de sopa de azeite extra virgem

4 colheres de chá de açúcar

3 xícaras de chá de farinha de trigo

2 colheres de chá de sal

Modo de preparo:

Misture o fermento com a água, aguarde 5 minutos até o fermento dissolver bem, acrescente o azeite e o açúcar, mexa. Acrescente a farinha e o sal e sova com as mãos até obter uma massa homogênea, aproximadamente 5 minutos.

Cubra a tigela com um pano e deixe descansar por 1:30 dentro do forno desligado.

Divida a massa em 12 bolinhas iguais. E deixe crescer por mais 30 minutos coberto com um pano.

Abra cada porção em círculos de cerca de 20 cm de diâmetro. Faça furos com um garfo em um dos lados.

Aqueça uma chapa ou frigideira antiaderente em fogo alto, unte com algumas gotas de azeite. Abaixe a temperatura do fogo e asse as pitas por aproximadamente 4 ou 5 minutos de cada lado. Até ficarem bem douradas. 

Tzatziki

Ingredientes:

3 potes de iogurte grego (usei o Yorgus)

1 pepino japonês médio com casca, ralado em ralador grosso

1 dente de alho pequeno bem picado

2 colheres de sopa de hortelã picada

Sal à gosto

2 colheres de sopa de Azeite

Pimenta do reino moída na hora à gosto

Suco de meio limão

Modo de preparo:

Rale o pepino com casca no ralador grosso, coloque-o num pano de prato limpo e deixe drenar o excesso de água.

Forre uma peneira com filtro de papel de café, coloque o iogurte para drenar por aproximadamente 1:30 h.

Após drenar o iogurte e o pepino misture-os aos demais ingredientes.

Sirva o tzatziki gelado como acompanhamento do pão e de vegetais crus, bastões de pepino, cenoura e aipo.

Para completar compre um bom pedaço de queijo feta, corte em cubos, regue com azeite e orégano. Aproveitei as azeitonas que trouxe de Zakynthos e servi junto.

A receita do pão eu achei no blog Cozinha da Grega e detalhei um pouco mais o modo de preparo.

Pão pita grego Pão pita grego Pão pita grego Pão pita grego tzatziki tzatziki tzatziki

Follow:

Finalmente minha lista de restaurantes na Liberdade com opções que vão muito além do básico sushi e temaki de salmão para você conhecer melhor essa culinária tão deliciosa.

Sabe o que é Teishoku? É uma refeição completa composta por vários pratos em pequenas porções. Fazem parte: conservas de vegetais, missoshiro, sashimi, arroz, peixes grelhados, tempurá, somen, saladas diversas. Normalmente os restaurantes selecionam 5 a 6 pratos para serem servidos e o cliente pode escolher o tipo de grelhado. É o PF japonês e se ele consta do cardápio é sempre ele que escolho.

O karê é o curry japonês. Um molho bem condimentado e encorpado que pode ser feito com base de vegetais e carne ou apenas vegetais. O karê é servido acompanhando alguma milanesa empanada com panko, aquela farinha que deixa o empanado bem crespo e crocante, arroz e salada. Eu sempre peço as opções com frango ou camarões mas tem de vegetais, peixe, carne de porco ou carne vermelha

Febre do momento, lamem ou ramem é composto de um caldo, um molho, uma massa tipo macarrão, vegetais e carnes. Totalmente customizável podemos escolher o tipo de caldo, massa e acompanhamentos, é servido numa tijela grande e considerado uma refeição rápida e completa.

Teppan também é uma opção deliciosa para variar o peixe cru. São grelhados de peixe, frango ou carne vermelha servidos numa chapa de ferro quente e acompanhado de legumes e vegetais salteados.

Durante a terceira edição do Japão.BR (leia esse post) conheci outros restaurantes na Liberdade incríveis e vou aproveitar para juntar todos nesse post. O Japão.BR é uma iniciativa da Patricia Takehana com apoio do Bunkyo para divulgação e preservação da cultura japonesa, foram três dias visitando museus, centro culturais, restaurantes e outros tantos pontos na cidade de São Paulo que teve forte influência japonesa.

São muitas as opções japonesas e chinesas no bairro, vou me limitar aos restaurantes japoneses nessa lista. A rua Tomás Gonzaga concentra a maioria deles, então se estiver perdido pelo bairro sem saber onde almoçar vá para ela e faça sua escolha.

Komei: O Komei é especializado em karê, o curry japonês. No cardápio constam opções de entradas e lamem também mas a minha indicação é ir para comer karê, super bem condimentado, as milanesas estavam ótimas, bem crocantes. As porções são bem generosas, em alguns casos podem ser divididas. O Komei nos recebeu durante a 3a. edição do Japão.br.

Onde: Rua Thomaz Gonzaga, 65

Yamaga: O Yamaga é um dos restaurantes mais antigos da Liberdade, com cardápio tradicional e opções de Teishoku. Peixes sempre muito frescos e extremamente bem cortados. Várias marcas de cervejas japonesas também estão no cardápio.

Onde: Rua Thomaz Gonzaga, 66

Kazu Cake: O café e doceria do restaurante Kazu está todo reformado e lindo. O Kazu Cake é uma opção deliciosa para um doce e café à tarde ou para a sobremesa após o almoço em algum dos restaurantes do bairro. Eles servem os doces em dois tamanhos, o que é ótimo para quem quer experimentar vários tipos. Eu particularmente adoro os doces feitos em estabelecimentos japoneses porque são menos doces e mais leves do que estamos acostumados a consumir no Brasil. Os pães salgados fabricados no Kazu também são excelentes.

Onde: Rua Thomaz Gonzaga, 90

Ramen Ikkousha: No Ikkousha o TONKOTSU, caldo feito a partir dos ossos do porco, é feito na casa assim como a massa do ramen. O cliente pode montar ao seu gosto escolhendo o caldo, molho, grau de pimenta e complementos.

Onde: Rua Thomaz Gonzaga, 45

restaurantes na Liberdade

Lamen Kazu: Do mesmos donos do Espaço Kazu em frente, aqui o restaurante é dedicado ao Lamen, caldos e molhos preparados na casa de forma tradicional.

Onde: Rua Thomaz Gonzaga, 87

Sushi Yassu: Desde 1972 a família serve teppans deliciosos e teishoku que mudam diariamente no menu do almoço. No balcão os sushis e sashimis são sempre ótimos e clássicos.

Onde: Rua Thomaz Gonzaga, 98

Samurai: O Samurai é outro restaurante bem familiar, já está na sua terceira geração, a história divertida é que ele começou servindo comida brasileira para a comunidade japonesa do bairro mas devido tantas exigências dos clientes para incluir itens das refeições japonesas acabou se tornando um típico restaurante japonês da Liberdade. No andar de cima funciona uns dos mais concorridos karaokês do bairro. O Samurai nos recebeu durante a 3a. edição do Japão.br.

Onde: Rua da Glória, 608

restaurantes na Liberdade

Sushi Lika: Gosto de sentar no balcão e pedir os bentos servidos no horário do almoço, são bem completos e sempre acontece uma customização após uma conversa como sushiman.

Onde: Rua dos Estudantes, 152

Não é na Liberdade mas não posso deixar de indicar

Keito – Pub Kei: No segundo andar do Top Center na Avenida Paulista, em meio à fasfood e restaurantes duvidosos fica o Pub Kei, karê excelente, peixes maravilhosos e um dos melhores cardápios executivos da região. O segredo de um restaurante japonês tão bom e tradicional na Avenida Paulista é que o consulado do Japão fica no mesmo edifício.

Onde: Top Center Av. Paulista, 854

São Paulo Tokyo: Para não deixar de fora quem gosta de sushis típicos paulistanos aqui é o lugar, os combinados e rodízio são fartos e variados. O São Paulo Tokyo nos recebeu durante a 3a. edição do Japão.br.

Onde: Rua Borges Lagoa, 1172

restaurantes na Liberdade

restaurantes na Liberdade restaurantes na Liberdade restaurantes na Liberdade restaurantes na Liberdade restaurantes na Liberdade

Follow:

Até que enfim um post com a lista de cafés e restaurantes em Londres que eu gosto. Reuni aqui os que gostei e conheci nessa última viagem e os que já eu já conheço e gosto muito. Vamos ajudar a tirar a fama que comida em Londres é ruim.

Café da manhã, lanchinhos e cafés.

Attendant: Fica em Shoreditch, gostei tanto que tomei café da manhã quase todos os dias nele. Pães excelentes, cardápio de café ótimo. Ambiente delicioso e atendimento muito bom. Funciona também como opção para almoço ou lanchinho à tarde, tem mais dois endereços em Fitzrovia e Clerkenwell. Attendant

Doughnut Time: Uma janelinha numa esquina toda grafitada de Shoreditch. Muitos sabores mas o que gosto e provei é o tradicional só com sugar glaze, enorme, super macio e saboroso. São vários endereços espalhados pela cidade. Doughnut Time

Urban Baristas: Fui no que fica pertinho do Spitafields Market mas tem em muitos outros endereços, de fora a gente não dá nada mas o café é ótimo, as meninas atendentes uma simpatia e tem mesinhas na calçada. Tem uma seleção de pães doces e bolos bem boa. Urban Baristas

Mr Coffee & Mrs Cakes: Um caminhãozinho dentro do Spitafields Market, serve ótimos cafés, focaccias recheadas deliciosas além de canollis e aragostines perfeitos, ultra crocantes e saborosos. Mr Coffee & Mrs Cakes

Fernandez & Wells: Outro ótimo café pertinho do Victoria & Albert, os sanduíches e pães são maravilhosos, super frescos e lindos. Fernandez & Wells

Monmonth Coffee: Para comprar grãos ou cafés ótimos e bem tirados. A loja de Covent Garden é lindinha e minúscula, quase ao lado da entrada do Neal’s Yard. Monmonth

Maitre Choux: O paraíso para quem ama eclair ou a velha e boa bomba. Com os mais variados e coloridos recheios e coberturas que mais parecem jóias. Fica pertinho da estação South Kensington. Maitre Choux

Almoço e Jantar

Rochelle Canteen: Eleito por mim mesma como o mais lindo fofo ótimo almoço da viagem. Instalado no alojamento de bicicletas da antiga escola Rochelle, com mesinhas ao ar livre e um jardim encantador. Comida simples, bem feita e com ótimos ingredientes, serve do café da manhã ao jantar. Foi dica da Isadora que mora em Londres. Rochelle Canteen

Bancone: Um longo balcão, algumas mesinhas pequenas, o Bancone fica em Covent Garden e serve apenas massas. Todas fresquissímas feitas na casa diariamente e finalizadas na nossa frente nos fogões atras do grande balcão eles exploram as 21 regiões da Italia e o resultado é delicioso. Esse foi dica da Raquel Sol. Bancone

Sagardi: Entramos nesse restaurante basco especializado em carnes sem querer e porque a atendente nos falou que também serviam peixes e foi ótimo. A adega é maravilhosa, com ótimos vinhos e cavas. As carnes são preparadas numa grande churrasqueira à carvão no centro do restaurante. Os peixes também são preparados no fogo. Há uma seleção de vários acompanhamentos para escolher assim como tapas para o aperitivo. O atendimento foi super simpático e cordial. Sagardi

Floral by Lima: Outra opção em Covent Garden ótima para almoço. O Floral by Lima serve comida peruana muito saborosa e bonita no esquema de porções para compartilhar. Tem também menus econômicos no almoço. Floral by Lima

Cecconi’s: Fui na unidade de Shoreditch, pequena, charmosa e comida ótima, achei melhor do que o restaurante de Miami. Bom para almoço e jantar, tem um bar bacana para drinks antes de jantar. Cecconi’s Shoreditch

Comptoir Libanais: Comida libanesa sensacional e parecidíssima com as que comemos aqui no Brasil, fica pertinho do Victoria & Albert Museum, então ótimo para ir após visita-lo. Gosto de almoçar nele. Olhem no site, a rede tem cerca de 23 restaurantes espalhados por Londres e outras cidades do Reino Unido. Comptoir Libanais

HomeSlice: Fui na unidade que fica no Neal’s Yard, existem mais cinco espalhadas pela cidade. A pizza enorme de massa fina, assada em forno à lenha e super gostosa. O lugar é super simples, apertado e vive cheio mas é bem legal e gostoso. Homeslice

Byron Hamburguers: Apesar de serem rede com várias unidades por Londres os hambúrgueres são realmente ótimos. No cardápio tem opções vegetarianas, veganas e glúten free também além de algumas saladas. Byron

Bumpkin South Kensington: Gastropub super arrumadinho e de comida ótima em South Kensington. No cardápio, fish and chips, saladas, hambúrguer e pratos ingleses saborosos e bem feitos. Bumpkin

Chiltren Firehouse: Da série famoso, lindo e ainda bem, delicioso. Instalado numa antiga firehouse. Serve do café da manhã, excelente, até o jantar bem concorrido. O chef lisboeta Nuno Mendes montou um cardápio capaz de agradar todos. Acho uma delícia sentar no balcão de frente para os maravilhosos fogões de ferro. Chiltren Firehouse

La Petite Maison: O LPM não é nenhuma novidade mas eu adoro e a unidade de Londres é a primeira e está aberta desde 2007, fica numa Mews lindinha em Mayfair. A comida é francesa do mediterrâneo, portanto muitos peixes, frutos do mar e ingredientes frescos regados com muito azeite e limão, umas das melhores saladas Niçoise que já comi foi nele. Eu gosto dele para jantar. La Petite Maison

The Wolseley: Funciona do café da manhã até o jantar com um cardápio bem ao estilo brasserie, é uma ótima opção para nós turistas. O salão é lindo, todo revestido de madeira ebanizada, serviço de prata e grandes candelabros como os antigos Gran Cafés europeus. O chá da tarde deles é bem delicioso também. The Wolseley

Muriel’s Kitchen: Sabe aqueles lugares fofos, bem iluminados e alegres? A cozinha da Muriel é assim. Serve do café da manhã ao jantar, cardápio inteiramente orgânico e com todos os fornecedores são locais. Comida gostosa e tem um balção de bolos e doces divinos para acompanhar um café à tarde. Fica ao lado da estação de South Kensington e pertinho dos museus. Muriel’s Kitchen

Ottolenghi: Sou completamente apaixonada pelos livros de receitas do Yotam Ottolenghi, tenho alguns. Com 6 endereços em Londres é uma excelente opção para vegetarianos, muitas receitas dos livros se encontram nos incríveis buffets de saladas. A comida tem forte influência do oriente médio uma vez que Yotam é israelense, tudo muito temperado e saboroso. No cardápio também tem opções como frango, cordeiro e carne de bovina. Ottolenghi

Berners Tavern: Outro lugar famosinho mas tão lindo! O salão é forrado de quadros, pé direito alto e o teto todo trabalhado no gesso. Cardápio internacional com alguns clássicos ingleses e franceses, comida gostosa mas nada de extraordinário. O conjunto da obra que é legal, lugar lindo e comida boa. Ahh os drinks são ótimos. Berners Tavern

Os semi erros e erros completos

Nobu: Essa é a segunda unidade do restaurante Nobu em Londres e fica no Nobu Hotel Shoreditch onde me hospedei. Que decepção, apesar do atendimento simpático no começo e ambiente bonito acabou sendo bem traumático. Pedi os pratos sem pimenta, o garçom nos garantiu que não eram apimentados mas foi praticamente impossível terminar de comer as duas entradas. No pedido dos outros pratos tivemos que insistir muito para que não colocassem pimenta, foi bem desagradável. Erro completo!

Sketch: Se você quer tirar fotos do salão cor de rosa lindo e do banheiro de cápsulas brancas para seu feed do instagram vale a visita, os ambientes foram feitos para isso. Agora se você procura um chá da tarde delicioso melhor ir em outro. Logo no primeiro prato veio um fio de cabelo, sim, o terror de todo restaurante. Pediram uma desculpa leve e o fato passou batido. O restante do chá estava gostoso mas nada de extraordinário. Semi erro!

Bob Bob Ricard: Você sonha em ter a famosa foto do “Press for champagne”? Me pede que te mando de graça. Que restaurante ruim, tudo foi um erro. O atendimento mau humorado desde o início. Os drinks que pedimos chegaram depois de termos terminado as entradas. O frango à Kiev que pedimos conseguiu ser pior que o frango recheado congelado da sadia sabe? Erro completo!

Bonus Track

No andar térreo da Selfridges fica o mercado gourmet com muitos produtos deliciosos pra gente trazer na mala e vários corners com opções gostosas para um almoço mais rápido.

cafés e restaurantes em Londres, cafés e restaurantes em Londres, cafés e restaurantes em Londres, cafés e restaurantes em Londres, cafés e restaurantes em Londres, cafés e restaurantes em Londres.

Follow: