Adoro uma lista! Preparei essa com 13 restaurantes em NY. Alguns são velhos conhecidos meus e outros que experimentei na última viagem. Esquema jogo rápido, uma parágrafo várias fotos. Post pra favoritar e mandar pros amigos heim?!

Os velhos conhecidos.

Locanda Verde – TriBeCa

O Locanda é velho conhecido, fica no The Greenwich Hotel (amor eterno). Cozinha italiana, massas caseiras, antepastos deliciosos. Ambiente descontraído, agitadinho, chique. À noite ferve e precisa de reserva, aliás como a maioria dos restaurantes em NY. Durante o dia é mais tranquilo. Se não quiser almoçar ou jantar arrisque o café da manhã, as panquecas de ricota e blueberry com lemon curd são sensacionais.

Locanda Verde

locanda verde restaurantes em ny

locanda verde restaurantes em ny

Épicerie Boulud – Westfield World Trade Center

Fast food chique do chef Daniel Boulud. Com 3 lojas na cidade é uma opção de comida rápida de qualidade, muita qualidade. Saladas, sopas, sanduíches, doces ótimos. Além de balção de vinhos! Se você estiver num dia corrido de passeios essa é uma ótima opção.

Épicerie Boulud

epicerie boulud restaurantes em ny

Kaffee 1668 – TriBeCa

Um dos meus cafés preferidos! Legal para café da manhã ou almoço rápido, tem saladas, sucos prensados a frio e chás também. Eles tem leite de aveia que é o meu leite vegetal preferido. Minha dica para quem quer conhecer algo mais além de Starbucks. Fica lá no sul de Manhattan na Greenwich Street, aproveite se estiver na região.

Kaffee 1668

kaffee 1668 restaurantes em ny

kaffee 1668 restaurantes em ny

Tacombi – NoLiTa

Sempre vou na unidade da Elizabeth Street em Nolita. Olhem no site porque tem mais 3 endereços espalhados pela cidade. Acho o Tacombi a cara do verão. Cervejas, tacos, sorvetes tudo num ambiente super alegre, colorido, vibe hispter sabe? Fofo.

Tacombi

tacombi restaurantes em ny

tacombi restaurantes em ny

JG Melon – Greenwich Village

Na opinião de muitos o melhor hambúrguer da cidade. Na minha também! Hambúrguer simples, sem invenções, de tamanho adequado para conseguir morder sabe? Mostarda francesa na mesa. As batatas fritas mais carnudas e sequinhas que você jamais provou. O endereço da 3rd Ave com a 74 Street é o original! Vale como passeio turístico.

JG Melon

jg melon restaurantes em ny

The Little Owl – Greenwich Village

Aproveita que está passeando por Greenwich Village, visita o prédio que serviu de locação para a série Friends e almoce no Little Owl. Ele fica no térreo do prédio. Minúsculo, super simpático, comida ótima e sempre cheio. O brunch de sábado é lotadaço. Por incrível que pareça nunca fiz reserva pra ele, sempre consegui sentar sem muita espera! Milagre. A música é sempre ótima, a maitre é uma figura e o restaurante tem um astral delicioso.

The Little Owl

the little owl restaurantes em ny

The Spotted Pig – Greenwich Village

O lugar onde os chefs comem no fim da noite. Essa é a fama com razão da casa de April Bloomfield. Não aceitam reservas mas esperar tomando drinks na calçada ou no bar do andar de cima é delícia e faz parte do programa. A casa é toda decorada com porquinhos e num clima escurinho intimista, música boa e gente bem interessante. O hambúrguer com gorgonzola é um dos preferidos do Ale, eu sempre peço o seabass ou o Gnudi de ricota. Ahh e ficam abertos até as 2:00 da madrugada sete dias por semana.

The Spotted Pig

spotted pig restaurantes em ny

As novidades da vez (novidades pra mim, veja bem)

Tiny’s and Bar Upstairs – TriBeCa

Estava morrendo de vontade de conhecer o Tiny’s, a tempos vejo fotos fofas de sua fachada cor de rosa. Gostei tanto que fui duas vezes. Uma para o almoço que é bem concorrido e outra para o café da manhã. Em ambas a comida estava excelente. Ele é famosinho pelo seu brunch e vive cheio de gente interessante, se quiser entrar só para um café ou taça de vinho também vale a pena.

Tiny’s

tiny's restaurantes em ny

tiny's restaurantes em ny

Macao Trading Co – TriBeCa

Que lugar incrível, a noite que fomos estava super animada! Foi indicação do concierge do nosso hotel. A comida é bem gostosa, uma mistura de oriente com ocidente mas mais puxada para a oriental. Os drinks são deliciosos. Serviço super simpático. Mas o mais legal foi a banda que se apresentou. Um sexteto que só tocou clássicos, Edith Piaff, Tom Jobin, tango, jazz! A decoração também é linda, bem carregada no vermelho, reproduziram um entreposto de mercadorias.

Macao Trading Co

macao restaurantes em ny

macao restaurantes em ny

The Odeon – TriBeCa

Clássico, bem old school americano mesmo, também foi indicação do nosso concierge. Saladas, hambúrguer, carnes, peixes, mac&cheese, tudo super gostoso. As sobremesas são ótimas, os sorvete são feitos na casa. Também atendem do café da manhã ao jantar.

The Odeon

the odeon restaurantes em ny

Smith & Mills – TriBeCa

Não sei porque demorei tanto para conhecer, fica ao lado do meu hotel! O Smith & Mills é minúsculo, decorado com banquetas de prancheta, desenhos técnicos de edifícios, luminárias e vários outros objetos charmosos. Não aceita reserva. Gostei dele para almoçar, tem saladas e sanduíches bem gostosos. No fim do dia eu iria para um drink, o balcão é lindo.

Smith & Mills

smith mills restaurantes em ny

smith mills restaurantes em ny

Sadelle’s – Soho

O Sadelle’s também estava na minha to do list da vez, afinal a foto do suporte de pratos recheados de bagels e seus acompanhamentos bombou tempos atrás no Instagram. E ele não decepcionou! Eu pedi a Tuna Salad (vulgo patê de atum) com os acompanhamentos, tomates, cebola rocha, alcaparras e pepinos além de claro a estrela da casa, o bagel. Alê foi de Cobb Salad que estava excelente também. Ótimo para quem vai tirar o dia para passear pelo Soho. Não pegamos fila, fomos num dia de semana por volta das 13:00 sem reserva.

Sadelle’s

sadelles restaurantes em ny

sadelles restaurantes em ny

Jack’s Wife Freda – Soho

Outro lugar que estava na minha lista!!!!! E o mais gostoso foi conhecer a Ana, uma querida com um dos feed mais lindos do Instagram, que a outra querida Helô me apresentou. <3 Gente, a trilha sonora desse lugar é sensacional, queria ficar o resto do dia ali, só sucessos de rock, pop velharia. E a comida, sabe prato de vó, bem servido? Opções de saladas, sopas, sanduíches. Servem do café da manhã ao jantar o que é ótimo para a vida sem horário de nós turistas. E fora dos horários de pico é fácil ter mesa, sucesso completo.

Jack’s Wife Freda

jacas wife freda restaurantes em ny

Tentar fazer uma lista de restaurantes em NY é tarefa impossível. A cidade oferece infinitas opções e na mesma velocidade em que abrem novos locais outros tantos fecham. Então vamos considerar essa, a minha primeira lista de 2017. Provavelmente ano que vem, ou esse mesmo, virei com outra lista de restaurantes em NY.

Gostou e quer guardar esse post? Pina essa foto lá no seu Pinterest 😉 Aproveite e veja o perfil do Por mais um carimbo.

tiny's restaurantes em ny

 

Follow:

– INSIDERS – trás a cada semana um convidado diferente, mostrando o lado pouco conhecido das cidades onde vivem ou visitam.-

Seattle é popularmente conhecida pela chuva e pelo movimento grunge dos anos 90. Mas é claro que eu não estou aqui no Por Mais um Carimbo para falar de coisas óbvias, né?

Você sabia que Seattle é um dos centros mundiais de torrefação de café? A cidade tem fama de ser a melhor dos Estados Unidos para os coffee lovers e, como se não bastasse, é comparável com Roma, Vienna, Melbourne e Havana no quesito “cultura do café”.

Não é à toa que a população de Seattle é a maior consumidora de café em todo o país e só perde para São Francisco em número de cafeterias per capta. O movimento de “amor à cafeína” começou com a inauguração da Starbucks na década de 70. Hoje, são mais de vinte torrefadoras indepentes só na região metropolitana.

Uma das mais populares entre os seattleites é a Victrola Coffee Roasters, que além de torrefadora é uma cafeteria e galeria de arte. A primeira unidade foi inaugurada no ano de 2.000 e atualmente eles têm quatro lojas em Seattle. Dizem que eles têm um dos melhores cafés de toda a cidade. Claro que eu fui lá conferir.

 

seattle e o amor pelo caféVictrola Coffee Roasters em Seattle

Victrola Coffee Roasters

A loja que eu visitei fica bem pertinho da Starbucks Reserveno  bairro de Capitol Hill – carinhosamente conhecido como “gayborhood”, fazendo menção à fama LGBT simpatizante do bairro. Porém, ao contrário da famosa concorrente, a Victrola Coffee Roasters não é parada obrigatória de turistas. Aliás, provavelmente só os “locais” a conhecem.

 

Victrola Coffee Roasters SeattleBandeira do movimento LGBT na janela do café. Isto é bem comum no bairro de Capitol Hill.

A decoração é minimalista, o estilo é rústico, o espaço é amplo e os cachorros são super bem-vindos -#issoémuitoSeattle. As paredes de tijolos aparentes (que eu amo!) exibem quadros de artistas locais que podem ser comprados ali mesmo. Bacana, né? A torrefadora fica no fundo da cafeteria, onde é possível ver o maquinário em funcionamento.

No dia em que fui fazer as fotos, por coincidência, o microlote em destaque era o Brazil Baixadao – da famosa fazenda brasileira Sítio Baixadão, do sul de Minas Gerais. Eu fiquei tão orgulhosa que fiz questão de falar para o barista que sou do Brasil! Até tentei ensiná-lo a falar “baixadão” sem sotaque americano, mas não rolou.

 

Victrola Coffee Roasters Seattle Café Brazil Baixadão no quadro! Que orgulho.

Eu optei por um espresso e o sabor estava ótimo, mas confesso que não sou uma super entendedora do assunto. Ah, eles também servem pastries. Porém, já que o foco da empresa é o café, não tem nada de comidas ou lanches muito elaborados.

Endereço: 310 E Pike St, Seattle

Horário de funcionamento: das 6h30 às 20h00

E você, já sabia sobre a cultura do café em Seattle? Ficou surpreso? Conta pra nós, vai!

Camila Picolli

Sou Camila Picolli, publicitária, gaúcha e moro em Seattle desde 2011. Amo escrever, fazer roteiros, explorar a cidade, dar dicas de viagem e contar sobre minhas aventuras por aqui. Po isso, logo que me mudei pra cá, comecei a escrever o blog Mila em Seattle. Para saber mais sobre a cidade, curta minha página @milaemseattle no Facebook e siga @camilapicolli no Instagram e Snapchat.

Follow:

Vocês já sabem da minha paixão por museus casas não? O Museo Nacional de Arte Decorativo de Buenos Aires foi uma grata surpresa. Consegui visita-lo durante minha viagem relâmpago da semana passada.

O museu abre diariamente às 14:00, as entradas custam 20 pesos (achei muito barato), fiz um tour guiado gratuito com duração de 30 minutos. Muito bom para quem quiser saber um pouco mais sobre a família e a construção.

O museu é a antiga residência da família de Josefina de Alvear e seu marido Matías Errázuriz Ortúzar. O palacete situado na Avenida del Libertador foi construído entre os anos de 1906 e 1916 durante o período que a família morou em Paris em missão diplomática.

A construção caracteriza um típico hôtel particulier, palacetes urbanos de uso familiar comumente construídos por nobres e famílias da alta burguesia parisiense. A família Alvear Errázuriz trouxe da França e Italia todos os materiais usados na construção. Mármores raros, madeiras, metais, elevadores, modernos sistemas de aquecimento e aspiração central dos ambientes, além de todos artesãos, arquitetos, paisagistas e decoradores europeus para a construção.

Tapeçarias Gobelins, esculturas de Rodin, pinturas de Manet, El Greco são só um pequeno exemplo do que esse palacete guarda. O Gran Hall foi inspirado nos salões da Inglaterra do século XVI da dinastia Tudor. Os salões destinados às recepções foram decorados em diversos estilos franceses dos séculos  XVII e XVIII, o mobiliário todo trazido da Europa.

A visita só não foi melhor porque alguns ambientes do palacete estão fechados por falta de verba para conservação e contratação de funcionários. O museu é administrado pelo governo argentino.

Bonus Track:

Almoce ou faça uma pausa para um café com doce no gracioso Croque Madame instalado no jardim do museu. O ambiente é um encanto e a comida bem gostosa. Saladas, sanduíches diversos, massas e vinhos estão no cardápio. As mesas externas são uma delícia e a trilha sonora ótima! Por mim teria ficado ali a tarde inteira de bobeira.

E aqui o snapchat da visita. Ahhh não se esqueçam de se inscrever no canal 😉

Follow:

– INSIDERS – trás a cada semana um convidado diferente, mostrando o lado pouco conhecido das cidades onde vivem ou visitam.-

Fram Café, para uma pausa relaxante em Bolonha.

por Dani Bispo.

O Fram Café é um dos meus cantinhos preferidos na Bolonha “não turística”.

É aquele típico lugar que só quem mora na cidade conhece. Onde posso entrar, pedir um café, me sentar e me sentir em casa. O café que tem uma atmosfera cosmopolita e poderia estar em qualquer grande cidade do mundo, como Berlim ou Nova York por exemplo.

Como uma arquiteta por formação, sou louca pelo mobiliário é 100% vintage do local, incluindo os utensílios de cozinha, sofás, acessórios, mesas e cadeiras dos anos 70. Não sei dizer o que é mais fofo. A iluminação baixa e a música relaxante colaboram para torná-lo o lugar ideal para se refugiar a qualquer hora do dia seja para um bate-papo entre amigos ou até para trabalhar sem que ninguém te incomode.

Só que para mim não basta um café ser bonito, aconchegante e ótimo para trabalhar se não serve um café bem tirado e comida boa [oi Starbucks]. O Fram Café além de oferecer um dos melhores cafés italianos na minha humilde opinião – caffé Pascucci – ainda possui um cardápio 100% orgânico, vegetariano, vegano e sem glúten.

fram cafe bolonha

fram cafe bolonha

fram cafe bolonha

 

É o lugar ideal para um café da manhã e lanche da tarde mas não se engane pois as propostas de almoço são ótimas.

Se o seu dia foi cheio e não sobrou um tempinho para conhecer o local, tente a hora do aperitivo: a partir das 18h eles servem cervejas artesanais orgânicas, vinhos biodinâmicos sem sulfitos, cocktails naturais e para os mais gulosos um jantar informal.

Se você achou que Bolonha “la grassa” [a gorda] ia fazer juz ao apelido, saiba que as coisas por aqui estão muito mudadas.

Fram Café
via Rialto, 22c / Bologna
horário de funcionamento: 2a. feira à 6a. feira 8.00- 21.00

Danielle Bispo

Desde 2011 conto minhas comilanças pela Itália e pelo mundo no blog de comida de viagem Comer e Coçar é Só Começar. Em novembro de 2016 depois de muitas idas e vindas acabei me mudando para Emília Romagna, Italia. Agora escrevo as delícias dessa região e da capital Bolonha no A Bolonhesa. Quer acompanhar turismo, arte, gastronomia e minha vida na Itália? Me segue no snapchat (comerecocar), no Instagram e Twitter (@abolonhesa_com) ou na página do Facebook (abolonhesa)

Follow:

Pérez museum e Wynwood em continuando a vibe “tentando gostar mais de Miami” separei um dia para visitar o museu e ir novamente ao bairro dos grafites, essa é uma forma boa de já matar dois itens da lista de passeios na cidade.

pérez museum e wynwood

Pérez Art Museum Miami ou simplesmente PAMM

O prédio é bem sensacional projeto dos incríveis Herzog & de Meuron autores de outros projetos de museus espetaculares pelo mundo como o Tate Modern de Londres e o Caixa Forum de Madrid entre outros. Em todas as fachadas do prédio vemos as instalações paisagísticas do francês Patrick Blanc, os jardins pendurados são realmente maravilhosos.

Achei o acervo permanente com obras do século XX e XXI bem acanhado. Já as mostras temporárias estavam excelentes em particular a de Julio Le Parc e Sarah Oppenheimer. Amei muito mesmo, por isso ao programar sua viagem consulte o site para saber as exposições do período. A lojinha do museu é incrível cheia de opções legais de livros e objetos decorativos. O museu tem um pequeno e simples café e um restaurante.

Se for fã de basquete a poucos metros do museu fica a Arena American Airlines casa do time Miami Heat com uma loja imensa do time.

Wynwood Arts District

Depois do museu parti para passear em Wynwood, que fica a menos de 10 minutos do museu. O bairro é conhecido pelos grafites, restaurantes e lojas de todos os tipos. Almocei no Joey’s um restaurante italiano pequeno e simples, as mesas da área externa são bem agradáveis.

O programa aqui é passear pela 2nd Avenue entre a 22th Street e 29th Street onde estão concentradas a maioria das galerias de arte e lojas. Também tomei um iced coffee delicioso no Mister Block Cafe. O site The Wynwood Walls reune uma pequenas biografia de vários grafiteiros com obras pelo bairro.

Follow: